UMA OPINIÃO SOBRE AS SUPERSTIÇÕES NO FIM DE ANO


Deliberadamente, o cristão comprometido com as Escrituras se vê diante de muitos dilemas culturais que almeja ler à luz de sua fé. As superstições no fim de ano são um bom exemplo desta realidade, pois, aparentemente, são muitos que estabelecem um apego e crença exagerados (até infundados) em coisas – roupas, alimentos, pessoas, atitudes, simpatias – puramente casuais.

O PAPEL DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Após votar nos deputados estaduais e federais, senadores e governador de sua preferência, seu último voto, a ser computado no dia 26/10, será para presidente do Brasil. Não há dúvidas que Deus estabelece as autoridades máximas de uma nação: “é ele quem muda o tempo e as estações, remove reis e estabelece reis; ele dá sabedoria aos sábios e entendimento aos inteligentes” (Dn 2.21). Contudo, a soberana vontade de Deus não nos isenta da cidadania responsável, consciente. Conheçamos o papel do PRESIDENTE DA REPÚBLICA. 


O PAPEL DO GOVERNADOR

O PAPEL DO GOVERNADOR


No dia 05/10 deste ano elegeremos novo presidente, governador, senadores, deputados federais e estaduais. Votar com responsabilidade é papel de qualquer cidadão e, principalmente, da Igreja de Cristo, que intercederá pelas eleições em cumprimento às exortações bíblicas: “Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito” (I Tm 2.1-2).  Depois de conhecermos os papéis dos deputados estaduais e federais, bem como dos Senadores, hoje aprenderemos sobre o papel do GOVERNADOR.

O PAPEL DO SENADOR

Na época das eleições é impressionante como muitas pessoas se esforçam, sobremaneira, para “desmascarar” os candidatos que não lhes agradam. Já recebi vários e-mails e acessei repletos links nas redes sociais. A Igreja de Jesus precisa tratar com a política de modo diferenciado. Antes do partido político, conhecer o candidato, suas propostas, sua história, é fundamental. Nem sempre o candidato do partido preferido é o melhor. Infelizmente, parece que o brasileiro prefere partidos a estudar propostas séria e objetivamente.


O PAPEL DO DEPUTADO FEDERAL

A Igreja de Deus é constituída por seus filhos, mas também por cidadãos. Ainda que saibamos que não somos deste mundo (Jo 17.16), nele vivemos e participamos das leis criadas por governos que o Senhor autoriza. Daí as constantes exortações bíblicas sobre os magistrados civis, as quais devemos ficar atentos. O apostolo Paulo, por exemplo, escreve sua carta aos romanos e enfatiza: “Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas” (Rm 13.1). Os cristãos devem reconhecer esse princípio e serem cidadãos conscientes no momento de votarem nos políticos mais aptos no dia 05 de outubro.

Neste ano serão eleitos um novo presidente, governadores, senadores, deputados federais e estaduais. Como sabemos, caso nenhum dos candidatos aos cargos de presidente e governador atinjam mais de 50% dos votos válidos, um segundo turno será realizado no dia 26 de outubro. Após considerações essenciais sobre o papel do Deputado Estadual, hoje verificaremos o papel do DEPUTADO FEDERAL.


O PAPEL DO DEPUTADO ESTADUAL

A Bíblia é em específica ao revelar a responsabilidade do povo de Deus frente aos seus governantes (Rm 13.1-4; I Pe 2.13-14; Pv 8.15-16; Sl 82.3-4; II Sm 23.3; Lc 3.14; Mt 8.9-10; Rm 13.4.; Hb 5.4; II Cr 26.18; Mt 16.19; I Co 4.1-2; Jo 15.36; At 5.29; Ef 4.11-12; Is 49.23; Sl 105.15; I Tm 2.1-3; II Pe 2.17; Mt 22.21; Rm 13.2-7, Rm 13.5; Tt 3.1; At 25.10-11; II Tm 2.24).

Em 2014 o primeiro turno das eleições acontecerá no dia 5 de outubro. Serão eleitos ou re-eleitos um presidente, governadores, senadores, deputados federais e estaduais. Como sabemos, caso nenhum dos candidatos aos cargos de presidente e governador atinjam mais de 50% dos votos válidos, um segundo turno será realizado no dia 26 de outubro. Assim, no preparo para esses importantes dias da nação, resumiremos o papel do DEPUTADO ESTADUAL.


ABORTO E FÉ CRISTÃ


Há algum tempo atrás um assunto terrível se noticiou pelo Brasil; uma menina entrou no Hospital com violentas dores de barriga. Feitos os exames, os médicos concluíram que a menina estava grávida; grávida de gêmeos aos nove anos. Conclusão: a continuação daquela gravidez poderia matá-la. Segundo a lei brasileira, uma possível justa causa de aborto é que a gravidez ponha em risco a vida da mãe. Uma segunda razão legal para o aborto seria o fato de o padrasto confessar que abusava da menina desde os seis anos. E a violação, estupro, na qualificação da lei brasileira, também exclui a ilicitude do aborto.

SER PRESBÍTERO É...


No dia 07/08 comemora-se o Dia do Presbítero. Na Igreja Presbiteriana do Brasil, o presbítero é o oficial, o representante imediato do povo (presbítero regente), por este eleito e ordenado pelo Conselho, para, juntamente com o pastor (presbítero docente), exercer o governo e a disciplina e zelar pelos interesses da Igreja a que pertencer, bem como pelos interesses da Igreja a que pertencer, bem como pelos de toda a comunidade, quando para isso eleito ou designado. Assim, em homenagem àqueles que são verdadeiramente presbíteros, passo a discorrer em versos um pouco deste ministério tão complexo dado pelo Supremo Pastor.

IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL, 155 ANOS DE HISTÓRIA


Na próxima terça-feira, dia 12/08/2014, a Igreja Presbiteriana completa 155 anos no Brasil. A “IPB” é a maior e mais antiga denominação reformada do país e mantêm seus alicerces na mesma linha dos reformadores europeus, tais como Martinho Lutero, João Calvino e John Knox. Contudo, ao se lembrar da origem do presbiterianismo brasileiro outro nome deve ser recordado: Simonton.

O CRISTÃO E AS FESTAS RURAIS


São muito comuns em nosso país as chamadas "Festas Rurais". Com a realização de rodeio profissional todos os dias, shows e grande cavalgada, sempre se espera um grande ajuntamento de pessoas no Parque de Exposições, por exemplo. No interior, é natural que um pastor seja procurado por muitos cristãos desejosos por uma uma opinião, uma palavra, uma posição, que os ajudem a entender se devem ou não participar de uma festa rural. O motivo, via de regra, envolve práticas religiosas, consumo de bebidas alcoólicas e músicas seculares.

Antes de qualquer coisa, creio que esta reflexão valha para esclarecer como se dá o envolvimento do cristão no mundo à qual está inserido. Por "cristão", refiro-me àqueles homens e mulheres que recebem as Escrituras Sagradas como Palavra de Deus, como norma de fé e prática. Por "festas rurais" exponho aqueles ajuntamentos sociais onde é possível assistir rodeios, cavalgadas, exposição de animais, bebidas e comidas em fartura, parque de diversões, shows, boates, etc.

O cristão que medita, porque crer também é pensar, não é alienado. Diante de uma festa como esta, ele facilmente reconhece aspectos positivos e negativos. Sim, é possível.

Para uma cidade de interior, uma festa sempre é oportunidade para ganhos econômicos e contentamento da população. Obviamente, os comerciantes venderão mais nos dias da festa. O povo, sofrido e aguerrido, vê nesse momento uma oportunidade de descanso "d'alma", de aliviar sua dor, de cantar, de curtir, de "afogar as mágoas", enfim. Para estes, isto é muito bom, é positivo.

Por outro lado, a festa chega ao fim e, com ele, permanecerão os dias de um comércio em baixa, amornecido. Restará a ressaca, a indisposição e o cansaço, pois os problemas não sumiram com o apagar das luzes. Muitos beberam e gastaram mais do que deviam. Talvez brigaram com outrem. Por sorte, não sobrecarregarão o hospital e a polícia com situações que poderiam ter sido evitadas. Eis o lado negativo de uma festa.

Dito isto, fica a grande pergunta: "e o cristão? Pode participar?". Acho que a pergunta certa seria: o que a Bíblia ensina sobre o comportamento do cristão no mundo? Permitam-me sistematizar parte de seu precioso ensino em duas declarações que, mesmo que aparentem, não são excludentes. São os dois lados de uma mesma moeda. 

1) O CRISTÃO NÃO FAZ PARTE DESTE MUNDO.

É bem possível que já tenha lido que a Igreja não pertence a este mundo (Jo 15.18-19), que o sistema jaz no maligno (1 Jo 5.19) e que não devemos amar as coisas que há no mundo (1 Jo 2.15). "Por isso não se deve participar de festas rurais", afirmam alguns. O textos são de Deus, são bons. Contudo, é triste observar que muitos cristãos são manipulados por suas lideranças com simples proibições pautadas em falta de exegese, hermenêutica e bom senso. Se o cristão não pode participar de eventos comunitários (que, não por nossa escolha, envolvem questões religiosas, bebidas alcoólicas e músicas seculares) a partir desses textos, como ficam os casamentos, as formaturas, os passeios turísticos, os aniversários e muitos outros eventos sociais que contemplam a mesma realidade? Nos ausentaremos desses também? Entenda: a Igreja não faz parte deste mundo, isto é, sua esperança está no mundo porvir. O mundo é a humanidade transviada dos padrões divinos, conduzido e cegado pela antiga serpente. A Igreja deseja andar pelo Caminho aplanado da graça, pastoreada e esclarecida pelo Senhor Jesus. O cristão amadurecido fala de Deus no meio de outros deuses (At 17.23), sabe comer, beber e ouvir músicas para a glória de Deus (1 Co 10.31).

2) O CRISTÃO FAZ PARTE DESTE MUNDO.

Jesus não orou para que a Igreja fosse tirada desse mundo (Jo 17.15), afinal ela é sua luz (Mt 5.14); sua missão é no mundo (Mc 16.15). Muitos cristãos enfatizam apenas a primeira declaração, se esquecendo da segunda. São taxados de "santinhos", porque proíbem certos "pecados" e cometem outros grosseiros no dia-a-dia. A verdadeira santidade consiste em se manter puro no meio da iniquidade. A verdadeira Igreja está perto das pessoas que ainda não são Igreja. Quanto mais a Igreja se isolar do mundo, das pessoas, mais distante ficará o cumprimento de sua missão. Jesus se aproximava dos "doentes", dos pecadores, dos publicanos, das meretrizes... O Mestre se aproximava das pessoas, do mundo, sem se contaminar, sem se tornar parte de seu estado alienado e de inimizade com Deus. A Igreja precisa estar apta a realizar sua missão em qualquer lugar do mundo; necessita de firmeza para ser luz em qualquer lugar do mundo. Reitero: o cristão amadurecido fala de Deus no meio de outros deuses (At 17.23), sabe comer, beber e ouvir músicas para a glória de Deus (1 Co 10.31).

Portanto, creio que um cristão comprometido com a Palavra de Deus pode estar em qualquer lugar, com qualquer pessoa, em qualquer circunstância, e ainda assim se guardar incontaminado. Essa é a religião pura e sem mácula (Tg 1.27). Creio que um cristão maduro em sua fé possa assistir um rodeio, beber, comer e festejar, com ou sem sua família, sem pecar. Agora, se há fraqueza espiritual, problemas com testemunho, medo das ciladas do inimigo, paixão por esse mundo, desejo de pecar, é melhor que não participe; é bem melhor que não envergonhe o Evangelho de Jesus. É melhor fugir destas coisas.

Caro (a) leitor (a), não vá ou não a uma festa por outros. Vá ciente de que "todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas... todas são lícitas, mas nem todas edificam (1 Co 6.12; 1 Co 10.23). A decisão é sua, mas sempre precisa ser para a glória de Deus.

Rev. Ângelo Vieira da Silva

O QUE É A REUNIÃO DO SUPREMO CONCÍLIO DA IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL?

Entre os dias 19 e 26 de julho de 2014 acontece a XXXVIII Reunião Ordinária do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil, com culto solene de louvor e adoração a Deus no dia 20, domingo, às 19 horas, no centro de convenções da cidade de Natal, Rio Grande do Norte. Mas, você sabe o que representa essa reunião para nossa Igreja? O Supremo Concílio é a assembléia de deputados eleitos pelos Presbitérios e o órgão de unidade de toda a Igreja Presbiteriana do Brasil, jurisdicionando igrejas e concílios, que mantém o mesmo governo, disciplina e padrão de vida. Entenda mais, logo abaixo.

A MÁQUINA DE BRINCAR COM O DIABO


Hoje fui abordado por minha esposa acerca de uma postagem na página "Vigilantes dos Pequeninos", no Facebook (o que, originalmente, veio de outro perfil, de uma mãe descontente com a descoberta). A leitura e imagens proporcionaram a necessidade de uma pesquisa sobre o assunto, afinal, somos cristãos e tal conteúdo não é compatível com nossa fé. Veja o texto e as imagens:

DEUS MEU - PARTE 2

Continuemos a pastoral anterior acerca do “Deus meu”, aquele que se revela, que está presente, que se lembra e que salva. Lembre-se: esta é uma expressão que constantemente se lê nas Sagradas Escrituras. Em muitas oportunidades na Bíblia, o “Deus meu” é a oração de servos e servas diante das circunstâncias da vida; é a expressão dos benefícios de uma relação íntima e duradoura entre filhos e o seu Pai, entre adoradores e o seu Deus. Mais uma vez, identifico esses momentos abaixo, rogando ao Senhor que nos permita experimentar tal privilégio. Afinal, Ele é...


DEUS MEU - PARTE 1

Uma expressão que constantemente se lê nas Sagradas Escrituras é “Deus meu”. Sem dúvida, há um povo privilegiado por permanecer graciosamente ante ao Senhor Todo-Poderoso, zeloso, que cuida dos seus. Em muitas oportunidades na Bíblia, o “Deus meu” é a oração de servos e servas diante das circunstâncias da vida; é a expressão dos benefícios de uma relação íntima e duradoura entre filhos e o seu Pai, entre adoradores e o seu Deus. Identifico esses momentos abaixo, rogando ao Senhor que nos permita experimentar tão grande privilégio. Afinal, Ele é...


TRÊS PERGUNTAS ACERCA DO DÍZIMO

O que é o dízimo? Biblicamente, dízimo é a décima parte de colheitas e/ou de animais que os israelitas ofereciam a Deus conforme Lv 27.30-32 e Hb 7.1-10. Portanto, é a décima parte do sustento de cada um. O dízimo é uma bênção antes mesmo da lei de Moisés (Gn 14.20 e Hb 7.2, 4); de tudo deu Abrão o dízimo a Melquisedeque (que tipificava Cristo), Rei de Salém. O dízimo é para ser entregue com confiança (Gn 28.22), pois é santo para o Senhor (Lv 27.32). O dízimo só não é bênção quando praticado "farisaicamente". Em Mt 23.23 Jesus diz: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!”. Jesus ensinou que os fariseus deveriam dar o dízimo e viver a misericórdia, justiça e fé. Não podemos ser meio-crentes; temos que ser fiéis inteiramente. Os fariseus eram muito fiéis no dízimo. Lembre-se que em Lc 18.12 o fariseu diz em sua oração: “jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho”. Será que um fariseu não é mais fiel que muitos de nós?


O QUE É A REUNIÃO DA COMISSÃO EXECUTIVA DO SUPREMO CONCÍLIO DA IPB?

Hoje (13/04/2014), após o almoço, viajarei para Vitória/ES onde, pela manhã de segunda-feira, tomarei o voo para Brasilia/DF. Na capital de nosso país, na Igreja Presbiteriana Nacional, acontecerá a Reunião da Comissão Executiva do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil. Porém, será que a Igreja compreende a importância dessa reunião?

O QUE NÃO ESPERAR DO FILME "NOÉ"?


Hoje (03/04/2014) estréia o polêmico filme "Noé" (do original inglês "Noah"). O afamado Russell Crowe (Noé) protagoniza o drama de 138 minutos que, somente nos Estados Unidos, já arrecadou 44 milhões na primeira semana de apresentação. O filme conta ainda com Jennifer Connelly (Naameh, esposa de Noé), Douglas Booth (Sem), Logam Lerman (Cam), Leo McHugh Carroll (Jafé), Emma Watson (Ila), Anthony Hopkins (Matusalém), Kevin Durand (um dos Gigantes) e Dakota Goyo (jovem Noé), dentre outros.

Vi o trailer do filme (logo abaixo) e li diversos comentários do diretor e atores envolvidos. Diante disto, exponho abaixo o que não se deve esperar do filme "Noé", principalmente se se é cristão comprometido com a Bíblia como a Palavra de Deus. Vejamos:

UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE A "SHEKINAH"

A maioria dos cristãos traduz ou entende que o termo “shekinah” é ou se refere a “glória de Deus manifesta”. Porém, eles próprios reconhecem que esta expressão não está na Bíblia. Outros sugerem que a “shekinah” é o equivalente judaico mais próximo do Espírito Santo, o que não parece ser correto. Afinal, o termo é extra-bíblico, aparecendo nos Targuns e sendo utilizado no Talmude.

AS TORRENTES NO DESERTO DO NEGUEBE


O Salmo 126 descreve o alcance da restauração que Deus pode proporcionar ao seu povo. Esse é um revigorar grandioso reconhecido pelas nações. Assim, Sião fica como quem sonha; sua boca se enche de riso/alegria e a sua língua de júbilo.

A BÍBLIA, O CELULAR E O CULTO A DEUS


A tecnologia é indispensável no mundo globalizado, definitivamente. O computador, a TV, o celular, o notebook, a internet, o Smartphone, o Tablet, etc., são novidades em constante evolução. Como um cumprimento profético (Dn 12.4), o saber tem-se multiplicado e avançado na mesma velocidade dos yotabytes. As estatísticas continuam subindo e as vendas se intensificam. Entrementes, as tecnologias de “última geração” de hoje, podem ser aparelhos “ultrapassados” logo pela manhã.

De todas as tecnologias, o celular é um modelo de avanços extraordinárias. Com mais de cinco bilhões de dispositivos em todo o mundo, é possível encontrar mais celulares do que habitantes em muitas localidades. É incrível e excêntrico reconhecer que “realizar uma chamada de voz” não seja, necessariamente, a principal função dos celulares modernos, repletos de recursos, aplicativos, funções, jogos, etc.

O que é extremamente útil, por outro lado, pode ser um obstáculo no culto a Deus. Qualquer Pastor ou dirigente de culto poderá atestar essa opinião no simples gesto da observação. A cada dia aumenta o número de cristãos que levam a Bíblia para a Igreja em seus celulares/Smartphone. É quase inevitável perceber o uso dos aparelhos durante o culto a Deus. Por isso, é necessário reconhecer que o celular pode “obstacularizar” a adoração quando:

(1) Se torna um instrumento de Ansiedade. Com ele, é bem possível ficar inquieto, desassossegado. Esperando por novidades na caixa de entrada ou nas redes sociais (dentre outros), trava-se e destrava-se aflitivamente o celular com uma frequência absurda. Basta observar.

(2) Se torna um instrumento de Tentação. Com tantos recursos ao alcance da mão/toque e, muitas vezes, num culto “sem expressão”,  o aparelho pode ser uma tentação soberba. Com seus milhões de cores e programas dinamizados o celular poderá representar uma tenção quase insuperável diante de um culto monocromático e engessado. É a pura verdade.

(3) Se torna um instrumento de Pecado. É possível pecar utilizando um celular? É claro! Com tantos recursos e diante das possibilidades listadas acima, ansiedade e tentação, o resultado poderá ser uma atitude (s) que transgrida a lei de Deus. O mundo cabe na palma da mão; o pecado também. Nesse caso, “guarda o pé, quando entrares na Casa de Deus” (Ec 5.1).

Creio que a luta da Igreja não é contra carne ou sangue, contra Tablet ou celular. Entretanto, diante da possibilidade do mau uso desses aparelhos, nortear os cristãos sobre como proceder no culto a Deus é um dever dos líderes espirituais. Assim, longe de uma lista esgotada de orientações, creio que quatro posturas essenciais contribuiriam muito para uma melhor relação entre o cristão, a bíblia, o celular e o culto. São elas:

(1) Mantenha o celular no modo silencioso. Afinal, o sábio de coração é chamado prudente (Pv 16.21). Se possível, desligue até o modo de vibração a fim de evitar a distração.

(2) Desligue quaisquer avisos sonoros/vibração de redes sociais e SMS. Parece redundante, mas não é. É possível configurar o que o usuário quer e o que não quer ser alertado. Os avisos de mensagem, recados, tuítes, SMS/torpedos, comentários, etc., são os preferidos.

(3) Use o celular para ler a bíblia. Sejamos honestos, a maioria das pessoas que possuem a Bíblia no celular, e não usam o texto impresso sobre essa desculpa, não leem a Palavra no culto. Nesse sentido, a Bíblia no celular é mera desculpa para o desinteresse ou para a vergonha do evangelho, isto é, vexame de se carregar uma Bíblia impressa na mão. Destarte, durante o culto, muitos incorrem na falta de reverência e usam o celular para torpedos, redes sociais, joguinhos, internet, notícias sobre o resultado do jogo, etc, e nunca para lerem a Bíblia.

(4) Em caso da impossibilidade de se ler a Bíblia no celular e desejo de não sucumbir as tentações de distração e ansiedade que ele proporciona, use uma Bíblia impressa. Você será mais edificado.

A favor do uso da tecnologia para a glória de Deus (1 Co 10.31) e certo que o coração do sábio procura e deve adquirir o conhecimento (Pv 18.15),

Rev. Ângelo Vieira da Silva

CARNAVAL NA HISTÓRIA, NO BRASIL E ENTRE OS CRISTÃOS


É chegada aquela semana marcada por uma celebração pomposa. Precedendo a “Quaresma”, que são aqueles quarenta dias de penitência entre a quarta-feira de cinzas e o domingo da Páscoa de católicos e ortodoxos, a festa ganha o título de carnaval. Ao que parece, o nome e a festa equivalem ao propósito pessoal do esbaldar o que a carne permite, pelo menos, antes do momento de consagração e jejum que precede a Páscoa católica e ortodoxa. O carnelevarium, ou “eliminação da carne”, ou “adeus à carne”, ou “festa da carne”, precisa ser melhor reconhecido na história, no Brasil e nos cristãos, isso se são comprometidos com uma santidade real, não meramente ritual.

A AÇÃO DE DEUS NA VIDA DOS SEUS

“Por esse tempo, Abimeleque e Ficol, comandante de seu exercito, disseram a Abraão: Deus é contigo em tudo o que fazes” (Gn 21.22)



“Deus é contigo em tudo o que fazes!”, que grande declaração!

É maravilhoso entendermos que um outro povo alheio à Aliança, os Filisteus, pudesse perceber em Abraão as ricas e graciosas bênçãos do Pacto de Deus com ele. Abimeleque e Ficol, os alto-oficiais filisteus, não puderam resistir a presença de Deus na vida do pai Abraão. Eles perceberam a necessidade de também fazer uma aliança com Abraão para que, semelhantemente, pudessem ser abençoados. Que reconhecimento!

O NÚMERO DA BESTA, O 666

"Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis" (Ap 13.18).



O que significa o número da besta? Uma grande quantidade de tinta já foi gasta com esta fascinante, porém desnorteante, questão. Dizem que o número representa o imperador Nero, ou Calígula, ou Domiciano, ou os Césares em geral, ou o Império Romano, ou qualquer outra das muitas soluções propostas. A maioria dos casos está baseada no fato de que tanto em grego quanto em hebraico, assim como em latim os numerais eram representados pelas letras do alfabeto, sendo que as letras dos vários nomes tinham valores numéricos que, somados, atin­giam o total de 666.15 Por exemplo, qsr nrôn (maneira hebraica de so­letrar "Nero César") pode ser somado da seguinte forma: 100 + 60 + 200 e 50 + 200 + 6 + 50. Estamos convencidos de que todas estas respostas estão erradas, porque a própria questão está errada. O número não representa ne­nhuma pessoa em particular, nem tampouco uma instituição; o nú­mero representa simplesmente a besta.


HINO 326: UMA LETRA DE FÉ, ORAÇÃO E TRABALHO. UMA HOMENAGEM AOS HOMENS PRESBITERIANOS DO BRASIL


Pense um pouco: por que cantamos? (...) Cantamos na alegria e na tristeza, na luta e na bonança, na fartura e na pobreza, na dúvida e na esperança. Enfim, amamos cantar. Como diria um poeta, “cantar é traduzir em sons”. Nesse sentido, através de cânticos espirituais, solos, corais, hinos, traduzimos nossa vida com Deus, cheia de notas com ritmo, harmonia e melodia eternas. Os homens presbiterianos de nosso Brasil podem traduzir sua vida com Deus no hino oficial da União Presbiteriana de Homens (UPH), de número 326 no Hinário Novo Cântico (HNC). Em homenagem a cada um deles traduzo essa singela reflexão no hino oficial destes verdadeiros pescadores de homens.

COMO AS MULHERES NOS SURPREENDEM?

As mulheres nos surpreendem positivamente; seja nos relacionamentos, na cozinha, no trabalho, na igreja, elas nos surpreendem em qualquer lugar; causam boa surpresa, nos faz muito bem admirá-las, maravilhamos com suas atitudes... Em um cenário onde os homens se encontravam atordoados pela morte de seu Mestre e pelas possíveis perseguições que sobreviriam sobre eles, as mulheres surpreenderam; fizeram isto indo de madrugada ao túmulo de Cristo e, não achando o corpo do Senhor, afirmando terem tido uma visão de anjos, os quais afirmaram que Jesus vivia. Aleluia! JESUS CRISTO VIVE E SALVA! Isso não é surpreendente?

O “BBB” OCULTO DE MUITOS CRISTÃOS

Estreou mais um “BBB”, o “Big Brother Brasil” 14. Entre “likes” e “unlikes”, não há dúvidas que tal “reality show” será (e já está sendo...) motivo de muitas matérias, críticas, artigos, "posts", "twitties" e comentários na internet. Dessa vez, me ausentarei desse palco e apenas me deterei em utilizá-lo para me referir a outro “BBB”, que insiste permanecer no meio de muitos cristãos, assombrados pelas concupiscências da carne e dos olhos (1 João 2.16-17).

A BUSCA FUNDAMENTAL DO CRISTÃO


O novo ano chegou e, com ele, novos sonhos, desejos, projetos, aspirações e realizações. Sim, em nossa mente e coração está o anseio de suprir as aquelas necessidades mais fundamentais, nossas e daqueles que nos são próximos. Muitos querem sanar suas dívidas, obter um diploma, cursar uma nova faculdade, adquirir certos bens materiais há muito tempo namorados, ter mais sucesso no trabalho, receber um salário melhor, rever parentes separados pelo tempo e espaço, viajar, poupar, crescer, enfim, viver, etc..