PRINCIPAIS PROPOSTAS DOS PRESIDENCIÁVEIS

PRINCIPAIS PROPOSTAS DOS PRESIDENCIÁVEIS

Hoje registro a última pastoral sobre as eleições 2010. Desejo ver a Igreja exercer sua cidadania conscientemente. É bem verdade que muitos sequer reservaram tempo estudando as propostas apresentadas pela Dilma e pelo Serra. Por isso, apresento as principais metas dos candidatos à presidência sobre temas essenciais na discussão política democrática. Leia, medite e vote bem no dia 31!

EDUCAÇÃO
Dilma
Erradicar o analfabetismo do Brasil; Criação do Sistema Nacional Articulado de Educação;
Serra
Investir na infra-estrutura das escolas básicas públicas; Criação do PROTEC; Abertura de novas ETECs/FATECs;

EMPREGOS
Dilma
Manutenção da política econômica do governo Lula; Realizar uma reforma tributária;
Serra
Ampliação de Escolas Técnicas; Melhora da infra-estrutura dos serviços brasileiros;

PROGRAMAS SOCIAIS
Dilma
Ampliação e consolidação do Bolsa Família e o reforço institucional para o combate à fome;
Serra
Continuidade e ampliação do Programa Bolsa Família, cri-ando subsídios para jovens em cursos profissionalizantes;

SAÚDE
Dilma
Ampliação do Programa Saúde da Família e das UPAs, Unidades de Pronto Atendimento;
Serra
Criação de clínicas de tratamento de usuários de drogas; Entregar 150 Ambulatórios Médicos de Especialidades;

SEGURANÇA
Dilma
Ampliação do Programa Nacional de Segurança Pública; Propõe Fundo Constitucional de Segurança Pública, subsidio de salário para os policiais civis e militares;
Serra
Criação do Ministério da Segurança Pública; Adotar vigilância eletrônica nos presídios; Criar a Força Nacional de Combate a Catástrofes; Criar Banco Nacional de Dados;


No próximo domingo (31/10) não se esqueça que, ao digitar o número de seu candidato, na tela, aparecerão foto, número, nome e sigla do partido do candidato. Se as informações estiverem corretas, basta apertar a tecla verde CONFIRMA.

Rev. Ângelo Vieira da Silva

ABORTO, PNDH3 E UNIÃO HOMOSSEXUAL: O QUE PENSAM OS CANDITADOS À PRESIDÊNCIA?

Não há dúvidas que o processo democrático nas eleições deste ano vem nos surpreendendo. Os debates e entrevistas dos candidatos estão acirrados e vibrantes. Diante das muitas propostas entorno ao meio ambiente, saúde, habitação, segurança, educação e infra-estrutura, alguns assuntos permanecem na pauta do cidadão cristão consciente, como a legalização do aborto, o Programa Nacional de Direitos Humanos (o PNDH3) e a união homossexual com certos privilégios descritos no Projeto de Lei na Câmara 122/2006. 

Reuni nesta pastoral alguns pensamentos e frases dos candidatos em suas entrevistas sobre tais temas disponíveis na internet. As opiniões dos candidatos estão em ordem alfabética e não por inclinação política. Leia, aprecie e continue se preparando para votar com consciência. 

1. Entrevistas da Candidata Dilma, do PT (13): Poucos se recordam e muitos já viram o vídeo disponível na internet em que a candidata petista dá a entender em 2009 ser favorável à descriminalização do aborto, atualmente permitido em casos de estupro e de risco à vida da mãe. A candidata, naquela oportunidade, voltou atrás em seu discurso. Hoje, em meio à polêmica sobre o aborto, a Dilma Rousseff garantiu a líderes evangélicos na última quarta-feira que, se eleita, não enviará ao Congresso projeto prevendo a legalização da interrupção da gravidez. Ela se comprometeu ainda, segundo as autoridades religiosas, que não vai propor a regulamentação para o casamento entre homossexuais. De acordo com os presentes naquele dia, a candidata divulgaria um documento até ontem, uma carta, se comprometendo com essas questões. Quanto ao PNDH3, o projeto é do PT. Outras propostas de Dilma podem ser acessadas no portal www.dilma13.com.br 

2. Entrevistas do Candidato Serra, do PSDB (45): Na entrevista coletiva da manhã do dia 11/10, Serra discorreu sobre o Plano Nacional dos Direitos Humanos (o PNDH3). Para ele o programa é uma "coleção de absurdos". Lembrou que entre as diretrizes do plano está prevista a retirada de imagens religiosas em repartições públicas: "Eu não quero retirar o Cristo Redentor do Rio", disse, em tom de brincadeira. "Se tiver imagens, por que tirar?", questionou. Também afirmou que o PNDH3 ameaça a liberdade de imprensa. A análise do PNDH3 foi motivo para nova reflexão do tucano sobre o aborto. "Se o aborto fizer parte dos direitos humanos, logo quem for contra estará transgredindo os direitos humanos", disse. Em entrevista, o candidato falou que é a favor da união civil entre pessoas do mesmo sexo. “É uma questão que está ligada às igrejas. Agora, a união em torno dos direitos civis já existe inclusive na prática pelo Judiciário e eu sou a favor para efeito de direitos, união civil, nesse sentido. Outra coisa é casamento, que é coisa que tem componente religioso, das igrejas. Aí, cada igreja define sua posição”, comenta. As demais propostas de Serra podem ser vistas no site www.serra45.com.br 

Rev. Ângelo Vieira da Silva

DIA NACIONAL DA CRIANÇA PRESBITERIANA

"Batalhando por Cristo, Lutando com amor, Sou um Soldado de nosso Senhor”, este é o lema da União de Crianças Presbiterianas, a UCP. Para estas e para os irmãos (as) que se dedicam no ministério infantil, hoje é um momento muito especial, pois dia 12/10 comemoramos o Dia Nacional da Criança Presbiteriana. Creio que será muito relevante destacarmos como este movimento se iniciou em nossa Igreja.

Entre 1940-1942 na Igreja Presbiteriana de S. José del Rei/MG havia um trabalho diferenciado na igreja denominado Liga Juvenil. Nas tardes de sábado, na casa da diretora (ao lado da igreja), Dna. Lavínia, senhora consagrada, animada e dedicada, reuniam-se os sócios desta Liga. Conta-nos a história que, na sua simplicidade, com poucos e precários recursos, Dona Lavínia proporcionava horas felizes e gostosas às crianças, com brincadeiras, estudos, trabalhos e deliciosos lanches. Havia reuniões especiais, festivas com vários programas. Anos mais tarde, outra Liga Juvenil fora criada, agora na 1ª IPB de Niterói. 

Ainda que não se saiba como e quando se iniciou a Liga Juvenil na Igreja Presbiteriana do Brasil, foi no ano de 1980, numa reunião realizada em São Paulo que fora proposto trocar o nome da Liga Juvenil para União de Crianças Presbiterianas, a UCP. O trabalho de crianças, até então, era vinculado ao trabalho das senhoras, com a direção da Secretaria Nacional de SAFs. Pouco depois (1982), foi criada a Secretaria de Infância das UCPs. A Tia Custódia, uma das pioneiras neste ministério dentro da IPB, disse: “Pelas misericórdias do Senhor, durante anos, tendo estado à frente deste trabalho, aqui na minha igreja. Tem sido uma grande bênção na minha vida, muito aprendi e muito me edifiquei ensinando as crianças. O meu grande desejo é que em todas as nossas Igrejas haja UCPs organizadas, ativas e que trabalhem com muito dinamismo preparando as nossas crianças na vida cristã levando-as a seguir e servir ao Senhor Jesus com muito amor. O trabalho é realmente maravilhoso. Que Deus, o nosso Pai, nos abençoe e desperte as nossas igrejas para este tão importante trabalho”.

Pela sua excepcionalidade, não há uma Confederação Nacional de UCPs, razão pela qual não haver lema e nem tema para o quadriênio (2010-2014). Todavia, estima-se, conforme dados da SE/SC, que 78.000 crianças sejam sócias da UCP. Para participar desta importante Sociedade, a criança deve ter entre 06 e 11 anos. Seu símbolo oficial está logo acima.

Parabéns às nossas queridas Crianças Presbiterianas e aos irmãos (as) que se dedicam ministeralmente para o crescimento delas! Como disse nosso Senhor em Mc 10.14 – “Jesus, porém, vendo isto, indignou-se e disse-lhes: Deixai vir a mim os pequeninos, não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus”.

Rev. Ângelo Vieira da Silva